Massagem

Massagem na SPP

A utilização da massagem na prática médica foi descrita por Homero em 1200 a.C e por Hipócrates em 460 a.C. Em 1932, John S. Coulter (1885-1949) disse: "Massagem consiste em um grande número de manipulações dos tecidos e órgãos do corpo, com finalidades terapêuticas".

Em 1952, Gertrude Beard (1885-1971) escreveu que massagem "é o termo usado para designar certas manipulações dos tecidos moles do corpo; estas manipulações são efetuadas com maior eficiência com as mãos e são administrados com a finalidade de produzir efeitos sobre os sistemas nervosos, muscular e respiratório e sobre a circulação sanguínea e linfática".

Os efeitos da massagem nos paciente com SPP podem ser divididos em mecânicos e fisiológicos.

Efeitos Mecânicos
drenagem do sangue venoso e da linfa;
hiperemia local;
mobilização dos tecidos tratados;
estímulo de funções viscerais;
aumento da mobilidade articular.

Efeitos Fisiológicos
Dérmicos (tecido conjuntivo e adiposo, musculatura)
aumento da maleabilidade e extensibilidade tecidual;
auxílio na penetração de fármacos;
promove o aumento da temperatura e consequentemente hiperemia;
aumento da vascularização periférica;
diminuição dos nódulos de gordura;
melhora a sudorese;
melhora a cicatrização;
renovação epitelial.

Circulatórios
aumento da nutrição e oxigenação tecidual;
remoção de produtos catabólicos;
remoção de conteúdo de hematomas;
promove o aumento da temperatura e consequentemente hiperemia;
previne a trombose;
estímulo da circulação colateral;
promove regeneração celular sanguínea;
vasodilatação.

Neuromusculares
Inibidores
bem-estar imediato;
relaxamento muscular local e geral;
alívio da dor.

Excitadores
estímulo de funções autonômicas (aumento da frequência cardíaca e tônus reflexo, estímulo das glândulas sudoríparas e do movimento peristáltico).